30 de jan de 2009

Vez da Voz - Interagindo com as Diferenças

Desde 2004, a ONG Vez da Voz promove a interação entre pessoas com e sem deficiência. Para isso, atua em diversas frentes com a produção de materiais didáticos em braile e datilologia (alfabeto escrito para surdos); eventos inclusivos em shoppings e feiras; palestras em escolas e universidades e treinamentos em empresas. Também tem como meta mostrar à sociedade como é possível integrar todas as formas de comunicação, independente das diferenças.

Por suas ações, a Vez da Voz já conquistou o selo de apoio institucional da Unesco, órgão da ONU para Educação e Ciência, e firmou parcerias com grandes empresas comprometidas com a responsabilidade social. Constantemente, a ONG faz pesquisas com pessoas com deficiência visual, auditiva, física e intelectual, com o objetivo de descobrir suas reais necessidades.

Foi a partir desta interação que os membros da Vez da Voz desenvolveram mais um produto inclusivo: o Telelibras, o primeiro telejornal inclusivo da internet brasileira, que transmite, em português e na língua brasileira de sinais (Libras), notícias variadas do Brasil e no mundo. O telejornal bilíngüe é voltado às pessoas com deficiência auditiva e aos interessados em aprender a libras. A Vez da Voz criou este projeto porque os surdos relataram suas dificuldades de compreensão das notícias jornalísticas veiculadas nos meios de comunicação. Ler um jornal ou uma revista, por exemplo, é extremamente difícil para surdos que se comunicam apenas por libras. A língua de sinais é própria e apresenta uma gramática completamente diferente do português.

Para os surdos que usam sinais, a frase em Português “vou para a casa dele” se transforma em “vou ele casa”. Esse é apenas um pequeno exemplo da barreira que eles têm de transpor ao tentar ler e entender o português. Para acompanhar os noticiários da televisão há possibilidade, em alguns televisores, de ativação de uma tecla que permite o acesso ao closed caption, sistema de transmissão de legendas via sinal de televisão. Ele descreve as falas dos apresentadores e também qualquer outro som presente na cena, como palmas, passos, trovões. Porém, muitas vezes, a captura do áudio não é a correta para o som da língua e ocorre uma distorção da mensagem f alada, resultando na escrita de uma palavra errada na tela da TV.

Outra alternativa utilizada pelas emissoras de TV para a comunicação com o surdo, principalmente os que não entendem o português, é a janela de libras. Seu formato corresponde a um espaço delimitado no vídeo onde as informações são interpretadas na língua brasileira de sinais. Porém, nem todos os programas televisivos contam com este recurso e quando o disponibilizam não o fazem em um formato adequado.

Para se entender a libras é necessária a visualização dos gestos das mãos e da expressão facial, mas, normalmente, a veiculação da imagem é feita em pequenas janelas no canto da tela. O problema referente ao acesso às informações jornalísticas pelos surdos existe. Algumas providências já foram tomadas, mas muitas ainda precisam ser desenvolvidas.

É por isso, depois de conhecer essas dificuldades, ouvir uma surda que não entende o que acontece em um telejornal, e avaliar a situação da mídia, a ONG Vez da Voz criou o Telelibras, o primeiro telejornal inclusivo da Internet brasileira, que tem o objetivo de informar à comunidade surda e ouvinte sobre as notícias do Brasil e do mundo. Conheça a seguir o Telelibras e seu público-alvo.

Um comentário:

lilian disse...

Parabéns pelo blog, gostei muito, mesmo sendo a primeira visita, acredito que foi amor a primeira vista, já que sou apaixonada pela causa dos deficientes. Me chamo Lílian Cavalcante, sou estudante de jornalismo e estou pesquisando sobre acessibilidade nos telejornais para os deficientes auditivos, esse será o meu produto de conclusão de curso, um livro reportagem. Um professor de libras me disse que desconhece livros com essa temática específica, mas gostaria de saber se você poderia colaborar comigo. Desde já agradeço e aguardarei resposta. Abraço