24 de mar de 2009

Secretaria Municipal de SP esclarece dúvidas sobre repasse de verbas e ressalta o trabalho de capacitação feito com os professores

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME), as crianças com deficiência atendidas pelas instituições de educação especial, parceiras da Secretaria, devem ser cadastradas nos Centros de Formação e Acompanhamento à Inclusão (CEFAIs). O cadastramento é necessário para que o repasse financeiro seja garantido. Os CEFAIs são ligados às 13 Diretorias Regionais de Educação (DREs) e capacitados a orientar os familiares sobre as necessidades de cada aluno especial da Rede Municipal de Ensino.

Ainda de acordo com a assessoria, a (SME) tem como uma de suas metas a capacitação de todos os professores que atendem alunos com necessidades educacionais especiais. Hoje, existem 10.982 alunos com deficiência matriculados nas classes comuns e as escolas municipais têm se organizado para atender estes alunos. São oferecidos serviços de apoio educacional especializado através das 157 Salas de Apoio e Acompanhamento à Inclusão - SAAI, instaladas nas Unidades Educacionais e do Professor De Apoio e Acompanhamento à Inclusão - PAAI, que realiza serviço de itinerância nas escolas.

Existem também seis Escolas Municipais de Educação Especial (EMEE), que atendem 1322 alunos com surdez, surdez associada a outros quadros de deficiência e surdocegueira. Estas escolas estão estruturadas para atender os alunos utilizando a LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais como língua de comunicação e instrução e a Língua Portuguesa como segunda língua, na modalidade escrita.

Em 2008, foram desenvolvidas diversas ações, como cursos optativos, para os profissionais que atuam em classe regular, sobre as deficiências, abordando a didática, metodologia, adequações curriculares, construção de material didático, avaliação pedagógica, dentre outros, dos quais 16.120 educadores participaram; cursos básicos de LIBRAS para 325 professores e de proficiência em LIBRAS para 150 professores e curso de comunicação em LIBRAS para 325 profissionais do Quadro de Apoio.

A SME, através dos CEFAI, também organizou, em 2008, dois Seminários: "Inclusão Escolar: Princípios e Ações" e "Práticas Pedagógicas na perspectiva da educação inclusiva", com o objetivo de possibilitar a todas as unidades educacionais momentos de formação em relação ao atendimento aos alunos com deficiência. Nestes seminários os professores e os coordenadores pedagógicos, que participaram representando suas unidades, receberam vídeos e pautas orientadoras para subsidiar os estudos, orientações e encaminhamentos nas escolas. Os vídeos elaborados tiveram como tema: Inclusão Escolar: Princípios e Ações; Avaliação da Aprendizagem e as Necessidades Educacionais Especiais; Deficiências Visual e Auditiva e Deficiências Física e Mental.

Para 2009, já estão previstas formações e capacitações para implementação dos documentos publicados, envolvendo professores e coordenadores pedagógicos e formação específica para supervisores, diretores e coordenadores pedagógicos sobre gestão da escola inclusiva, bem como formação para o quadro de apoio e estagiários que atuam junto às classes que atendem alunos com deficiências.

No período de organização das unidades educacionais deste ano foi destinado um dia para cada escola discutir questões relativas ao atendimento dos alunos com necessidades educacionais especiais, com o objetivo de garantir ações efetivas no Projeto Pedagógico, no plano de trabalho do professor, bem como as formas de avaliação e acompanhamento, os apoios e recursos necessários à aprendizagem e desenvolvimento destes alunos.

Nenhum comentário: