7 de mai de 2009

Lei exige facilidade de acesso em espaços de lazer - MG

Zoológico
Depois da fiscalização do Ministério Público Estadual (MPE), a Fundação Zoo-Botânica, na Região da Pampulha, passou por obras de acessibilidade, que estão em fase final. Os passeios foram rebaixados, foram construídas passarelas, mirantes, 16 banheiros adaptados, a lanchonete foi adequada, entre outras intervenções. “Estamos continuando a melhoria das calçadas, falta adequar cinco dos 14 quilômetros”, destaca Eriverto Antônio dos Reis, diretor do zoológico.

Todo adaptado para receber pessoas com deficiência, o local permite que pessoas em cadeira de rodas cheguem bem perto dos bichos. No caso dos deficientes visuais, um mapa em braile é oferecido aos visitantes. A equipe de educação ambiental também dá suporte especial a pessoas com deficiência. “Hoje, esses grupos conseguem participar de quase todas as atividades. Os cegos são os mais frequentes e damos condições a eles de tocar nos animais. Na zooboteca, trabalhamos a sensibilização, principalmente, com crianças especiais, a partir de materiais como sementes, peles e penas”, afirma a coordenadora de educação ambiental do zoológico, Gislaine Xavier Andrade.

Mineirão
O Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, também passou na prova de acessibilidade. Um dos programas preferidos da estudante Bruna Buzetto Borges, de 15, é torcer pelo Cruzeiro e, para isso, nem é preciso driblar as barreiras arquitetônicas. A menina usa cadeira de rodas, por conta de uma má-formação na medula, e conta com o apoio de rampas, elevador e corrimãos ao longo de todo o caminho até a arquibancada para pessoas com necessidades especiais. “Só fico chateada porque o espaço para cadeirantes permite apenas um acompanhante, que fica em um local separado. Sou muito animada e gosto de assistir aos jogos com todo mundo”, ressalta. Outro ponto contra é que, para ter acesso à área especial, o ingresso tem de ser para arquibancada.

O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Idosos , fiscaliza espaços públicos e de uso coletivo, verificando se estão adequados às leis da acessibilidade. Além do Jardim Zoológico, já passaram pela varredura do órgão o Parque Ecológico da Pampulha, o Jardim Botânico e os principais cinemas, shoppings e teatros de Belo Horizonte. A adaptação de praças e parques faz parte de um inquérito civil em tramitação no MPE.
Texto: Flávia Ayer - Estado de Minas

Nenhum comentário: