26 de jun de 2009

Cartilha traz dicas para pessoas com deficiência

Ninguém melhor que a própria pessoa com deficiência para saber e dizer quais são as suas necessidades. O que ela precisa para viver bem e com qualidade de vida. Foi tomando como ponto de partida a sua experiência pessoal e a convivência com amigos e outras pessoas com algum tipo de limitação física que o administrador de empresas Lourivaldo Ribeiro, de 52 anos, e paraplégico há 29, devido a um tiro que levou em um assalto, escreveu a Cartilha de Orientação a Pessoas com Deficiência e seus Familiares.

A obra faz parte do trabalho realizado pelo Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim (CEJAM) - entidade sem fins lucrativos que realiza atividades de inclusão social desde 1991, em São Paulo. Ribeiro, que coordenada o programa Deficiente Saudável - um dos vários projetos que o CEJAM desenvolve - conta que no início o objetivo era escrever uma autobiografia, mas depois percebeu que poderia ajudar outras pessoas, que se encontram na mesma condição que a sua, oferecendo-lhes informações úteis para o seu dia-a-dia. "Cada assunto que eu desenvolvia no livro vinha a idéia de colocar algumas dicas para deficientes inexperientes. Então, relatei uma historia muito bonita de uma amiga amputada e acrescentei várias outras informações que achei interessante", diz ele. "O livro ficou com cara de cartilha de orientação."

A cartilha, dividida em capítulos, inclui esclarecimentos e dicas sobre higiene, vida sexual, preconceitos, esportes, convivência, facilidades, benefícios e uso de recursos assistenciais disponíveis. A obra também dá conselhos preciosos para as famílias das pessoas com deficiência. Diz, por exemplo, que "não precisa ter dó nem piedade". O que vale é saber que "a vida continua", procurando sempre a conversa positiva e a valorização da auto-estima. "Sei o quanto minha mãe sofreu por me ver nesta nova condição. Por isto tentei com esta cartilha amenizar o sofrimento de outras mães e famílias, levando de uma forma descontraída informações e dicas que lhe possam ser útil."

A distribuição da cartilha, que tem o patrocínio da Prefeitura de São Paulo pelo Contrato de Gestão com a Organização Social CEJAM, será feita por agentes comunitários de saúde a principio nas Unidades Básicas de Saúde da região do Jardim Ângela, e nos Centros de Reabilitação municipais da região.

O CEJAM realiza trabalhos de pesquisa, gestão e educação junto às Unidades de Saúde da Prefeitura para melhorar e ampliar o acesso à saúde da pessoa com deficiência. "Em uma cidade onde se estima haver 2,5 milhões de pessoas com deficiência, a convivência harmoniosa entre elas, a cidade e os demais habitantes precisa ser viabilizada", finaliza Ribeiro, que esteve presente durante o lançamento da cartilha, no dia 11 de setembro, na livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo.

A cartilha também está disponível na versão online através do link:
http://www.saudeprev.com.br/2008/imagens/pdf/Cartilha_familiares.pdf

Para visualização da Cartilha é necessário ter instalado no seu computador o programa Adobe Reader. Esse software pode ser baixado gratuitamente através do site: http://get.adobe.com/br/reader/
Fonte: Redação Sentidos

Nenhum comentário: