4 de ago de 2009

CDHU inicia construção de primeiro conjunto habitacional exclusivo para idosos de baixa renda

A CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) autorizou na segunda-feira, dia 3 de agosto, o início das obras do primeiro conjunto habitacional do programa Vila Dignidade, destinado exclusivamente a idosos de baixa renda. Localizado em Avaré, no interior de São Paulo, o empreendimento de 22 casas será construído pela Construtora Sequência, vencedora da licitação. O investimento está estimado em R$ 1,8 milhão.
O programa Vila Dignidade prevê a construção de pequenas vilas, com até 24 unidades habitacionais, que respeitem os conceitos do Desenho Universal, além de infraestrutura completa e espaços de convivência, onde os moradores terão assistência social e atividades socioculturais e de lazer.

O empreendimento de Avaré terá casas horizontais, com sala conjugada à cozinha, um dormitório, banheiro, área de serviço e uma pequena área externa nos fundos, que pode ser utilizada como jardim ou horta. Como são projetadas para idosos, vários itens de segurança e acessibilidade estão previstos nas residências, como barras de apoio, pias e louças sanitárias em altura adequada, portas e corredores mais largos, interruptores em quantidade e altura ideais, rampas e pisos antiderrapantes, entre outros. As áreas comuns do condomínio também terão recursos de acessibilidade para facilitar a locomoção e dar segurança aos moradores.

Além de Avaré, a CDHU ainda investirá R$ 10 milhões na construção de outros seis conjuntos do programa nos municípios de Cubatão, Caraguatatuba, Itapeva, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Santos. Em seguida, o Governo do pretende expandir o programa para todo o Estado.

Para se candidatar ao Vila Dignidade, o idoso deve ter 60 anos ou mais, ser independente para a realização das tarefas diárias, ter renda mensal de até dois salários mínimos, ser só ou não possuir vínculos familiares sólidos e morar há pelo menos dois anos no município.

O programa Via Dignidade é uma ação conjunta da CHDU, do Fundo de Solidariedade e Desenvolvimento Social e Cultural do Estado de São Paulo (FUSSESP) e das secretarias da Habitação, de Assistência e Desenvolvimento Social (Seads), de Economia e Planejamento e da Cultura, em parceria com as prefeituras de São Paulo.
Fonte: Piniweb

2 comentários:

Sergio Henrique disse...

Renata
Gostaria de aproveitar o ensejo para parabenizá-la pelo blog.
Esta matéria é fantástica! Em poucos anos nossa sociedade estará muito mais idosa e precisamos reunir todas as áreas do conhecimento para preparar o caminho para eles (e nós também!).
Meu e-mail henriquecs.sergio@gmail.com

Mundo acessível disse...

Sérgio,
tudo bom?
Que bom que você gostou do blog! Saiba que ele está a sua disposição para divulgar qualquer coisa relacionada à acessibilidade, é só me mandar!
Concordo com você, acessibilidade não é apenas voltada às pessoas com deficiência, mas também aos idosos e gestantes. Assim, é extremamente importante que as edificações (inclusive as CDHUs) sejam adaptadas e não ofereçam nenhum risco às pessoas.
Muito obrigada pelo comentário!!
Um abraço,
Renata