4 de set de 2009

Tecnologia para deficientes auditivos aporta nas empresas

Pessoas com deficiência física ganham novos serviços advindos das melhorias tecnológicas. Empresas como a companhia aérea Gol, Banco do Brasil e AMIL utilizam o sistema TS (telefone para surdos). Nesta tecnologia, o equipamento fica ligado a computadores nas posições de atendimento, e ao receber ligações de outro aparelho TS, a comunicação é estabelecida por meio de textos transcritos para um teclado alfa-numérico. O custo do dispositivo, que é um telefone público comum acoplado a um aparelho de teletexto é de aproximadamente R$ 2 mil.

Marcelo Botelho, especialista em tecnologia, percebeu que era possível investir neste nicho e trazer comodidade para pessoas com deficiência visual. Sua empresa Veus Technology é especializada no desenvolvimento de softwares principalmente para laboratórios, e o empresário logo percebeu uma falha nos laudos médicos: por serem exames impressos, uma pessoa cega precisava sempre pedir que outra olhasse seus laudos.

O laudo por voz foi um projeto lançado no inicio deste ano, que permite a consulta de resultados por meio do telefone. Do outro lado da linha, um computador faz a “leitura” do exame e vocaliza o que lê. A diferença do software para outros de vocalização é a perfeição de falar termos médicos.

Uma simulação do serviço pode ser feita pelo telefone (11) 2122-0202. Antes de ser inaugurado comercialmente, o projeto já havia sido aprovado pelos deficientes visuais do Instituto Benjamin Constant.
Texto: Fernando Souza Filho

Nenhum comentário: