19 de out de 2009

Programa pioneiro capacita 350 pessoas com deficiência para o setor bancário

Na última sexta-feira, dia 16, o prefeito de São Paulo entregou os diplomas na formatura da 1ª turma do Programa de Capacitação Profissional e Inclusão de Pessoas com Deficiência no Setor Bancário. Resultado de uma parceria firmada entre a Prefeitura, por intermédio das secretarias municipais do Trabalho e da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, e a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), o projeto capacitou 350 alunos com deficiência que já estão trabalhando na área. A cerimônia foi realizada no Hotel Maksoud Plaza, região da avenida Paulista.

O programa piloto é pioneiro no Brasil. Os participantes começaram a trabalhar no sistema bancário paulistano em setembro deste ano, nas funções de operador de call center, iniciante
de agência, iniciante administrativo e caixa. Os candidatos foram pré-selecionados em novembro
o ano passado, por meio do Programa Inclusão Eficiente do Centro de Apoio ao Trabalho (CAT), da Prefeitura de São Paulo. Além de auxiliar a Febraban na orientação dos primeiros passos do projeto, a Secretaria da Pessoa com Deficiência ministrou palestras aos alunos nos cursos de capacitação.


O programa foi criado com base na necessidade de os bancos se adequarem ao Decreto nº 5.296/2004, a chamada Lei de Cotas. Pesquisa realizada pela Febraban em 2006 identificou que 78,7% das pessoas com deficiência no País têm menos de oito anos de estudo, fator limitante para o desenvolvimento pessoal e profissional. Tanto é que para muitos dos alunos bancários com idade entre 18 e 65 anos esse é o primeiro emprego. Uma das diplomadas, Giovana Boni de Aguiar, 28 anos, perdeu a visão quando tinha um ano de vida. Casada, ela já trabalhou
dando aulas de música e na área de telefonia. Moradora no Parque São Rafael, Zona Leste, ela trabalha em um banco na região da Paulista. Ela discursou em nome dos 350 formandos: "Esta é uma janela que se abre e mostra que existe a oportunidade de valorizar os deficientes para que não fiquemos escondidos, vivendo à margem da sociedade. Antes da realização deste curso,
enfrentávamos uma luta muito grande. Nós, deficientes, temos nosso potencial e precisamos de uma chance".


Curso
A capacitação foi realizada em duas etapas. A primeira, denominada Aprimoramento Educacional, é destinada aos contratados que tenham ensino médio completo. Com duração
de três meses, o curso é ministrado pela equipe da Universidade UniSant'Anna. Depois desse período, os alunos receberam mais três meses de qualificação técnica, específica para o setor bancário. A outra etapa, intitulada Supletivo Ensino Médio, é voltada aos 147 participantes que não concluíram o ensino médio. A duração do curso é de 12 meses e está sendo ministrado pela equipe do cursinho da Poli. A conclusão desta turma está prevista para meados de 2010.

Fonte: SMPED

Nenhum comentário: