30 de set de 2009

Guga e Agassi defendem projetos sociais

Um encontro entre Gustavo Kuerten e Andre Agassi no último final de semana em Las Vegas permitiu o intercâmbio de experiências entre os dois campeões de Grand Slam que já ocuparam o primeiro lugar no ranking do tênis mundial. A pauta da reunião envolveu o esporte que os identifica, mas de maneira transversal, já que Guga e Agassi conversaram sobre as instituições sociais que ambos mantêm, respectivamente em Florianópolis e Las Vegas, criadas a partir das vitórias no circuito profissional. Um dos objetivos da viagem de Guga era conhecer o trabalho realizado pela Agassi Foundation, organização fundada em 1994 com o propósito de oferecer oportunidades de educação para jovens em situação de risco. Sete anos mais tarde o vencedor de oito torneios Grand Slam inaugurava a Andre Agassi Preparatory Academy (Agassi Prep) que atualmente garante formação para 630 crianças e adolescentes a partir do jardim de infância até o ensino médio. Em junho a escola comemorou a formatura de 34 alunos com ingresso garantido em universidades americanas.

Guga explicou a Agassi que o trabalho desenvolvido pelo Instituto Guga Kuerten beneficia os alunos das escolas públicas e as pessoas com deficiência em Santa Catarina. Criado em 2000, o IGK tem como meta promover a inclusão social das crianças e adolescentes, utilizando o esporte como ferramenta estratégica para obter esse resultado. O processo de atuação do Instituto Guga Kuerten se divide em três linhas essenciais: os núcleos esportivos e educacionais que oferecem atividades direcionadas para os jovens no contraturno da escola; o fundo de apoio a projetos sociais que fornece suporte técnico e financeiro a entidades que trabalham com pessoas com deficiência, e os projetos especiais, atividades desenvolvidas anualmente como o Prêmio IGK, colônias de férias para pessoas deficientes e ações pontuais, como a que foi realizada em prol das famílias vítimas das enchentes em Santa Catarina, ações que já beneficiaram diretamente um público estimado em 32 mil pessoas.

Além da reunião Gustavo Kuerten também participou do evento anual que arrecada doações para a fundação de Agassi, o Andre Agassi Charitable Foundation´s Grand Slam, na noite do último sábado (26). “O Agassi sempre foi um exemplo para mim, convivi bastante com ele no circuito. Esta oportunidade de ter vindo aqui conhecer a Andre Agassi Foundation, e de vivenciar mais de perto suas ações, vai servir de exemplo para novos desafios dentro do IGK e quem sabe começar uma parceria que sirva como uma aliança duradoura entre as duas instituições”, declarou o tricampeão de Roland Garros.
Fonte: Esporte Site

28 de set de 2009

Nova tecnologia ajuda a recuperar visão de deficientes visuais

Barbara Campbell começou a perder a visão quando era adolescente e nos últimos dos seus 30 anos sua perda de visão foi completa. Agora com 56 anos, ficaria emocionada em ver alguma coisa. Qualquer coisa.

Agora, como parte de uma experiência notável, ela pode. Até agora, ela consegue detectar as bocas de seu fogão, a moldura de seu espelho e se o monitor do computador está ligado ou não.
Ela está começando a fazer parte de um intensivo projeto de pesquisa de três anos que envolve eletrodos cirurgicamente implantados nos seus olhos, uma câmera sobre seu nariz e um processador de vídeo amarrado a sua cintura.

Alguns dos outros 37 participantes do projeto conseguem diferenciar pratos de xícaras, perceber a diferença entre grama e calçada, separar meias brancas de pretas e ver onde há pessoas, embora nenhum detalhe delas. "Para alguém que foi totalmente cego, isto é realmente notável", disse Andrew P. Mariani, diretor do programa do Instituto Nacional do Olho.

O projeto, uma retina artificial, faz parte de um número recente de pesquisas que buscam atingir um dos mais almejados objetivos da ciência: fazer cegos enxergarem. As tentativas de cura incluem terapia genética, que melhorou a visão em pessoas que são cegas por causa de uma rara doença congenital.

Pesquisas com células tronco também são consideradas promissoras e outros estudos envolvem proteínas que respondem à luz e o transplante de retina. E recentemente, Sharron Kay Thornton, 60, de Smithdale, Mississipi, que ficou cega por causa de uma doença de pele, recuperou a visão em um olho depois que médicos da Escola de Medicina da Universidade de Miami Miller extraíram um dente e o modelaram para servir como base para uma lente de plástico que substitui sua córnea.

Campbell, conselheira de reabilitação vocacional da Comissão de Nova Iorque para Cegos e Pessoas com Deficiência Visual, sempre foi independente e muito alegre. Mas pequenas coisas a irritam, como não saber se roupas estão manchadas e precisar de ajuda para comprar cartões comemorativos. O dispositivo não a fará "ver como antigamente", ela disse. "Mas será mais do que o que eu tenho. Não só para mim - mas para as outras pessoas que virão depois também".

Fonte: Último segundo

25 de set de 2009

Serra destaca habitação para a baixa renda durante evento

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), participou ontem da abertura oficial do Salão Imobiliário de São Paulo, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na zona norte da capital. No evento, que vai até domingo, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU) apresenta novos conceitos de moradia para baixa renda em seu estande.

O Programa Vila Dignidade, desenvolvido pelo governo para promover moradia digna e apoio social aos idosos. Os empreendimentos são condomínios horizontais de até 24 unidades habitacionais, com sala conjugada à cozinha, um dormitório, banheiro, área de serviço e uma pequena área externa nos fundos que pode ser utilizada como jardim ou horta. Vários itens de segurança e acessibilidade constam no projeto, entre eles barras de apoio, pias e louças sanitárias em altura adequada, portas e corredores mais largos, interruptores em quantidade e altura ideais, rampas e pisos antiderrapantes.Também é apresentado o novo padrão de construção de moradias que incorporam melhorias como o terceiro dormitório, aquecedor solar e o conceito de acessibilidade do Desenho Universal, utilizado pela CDHU em todos os novos projetos de moradias de Interesse Social no estado.

A acessibilidade também tem espaço garantido nos trabalhos desenvolvidos pela CDHU. Os novos imóveis estão sendo projetados segundo os parâmetros de acessibilidade do Desenho Universal, que estabelecem um conceito arquitetônico adaptável para permitir facilidade no uso da moradia por qualquer indivíduo com dificuldade de locomoção, temporária ou permanente.
Fonte: DCI

24 de set de 2009

Alunos do SENAI/SC desenvolvem cadeira de rodas que amplia movimentos do usuário

Alunos e professores da unidade do SENAI/SC em Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, conseguiram aplicar os conhecimentos aprendidos em sala de aula e laboratórios em uma causa social. Eles desenvolveram uma cadeira de rodas motorizada que é mais barata que as disponíveis hoje. E ainda inovaram, ao desenvolver um sistema que coloca o cadeirante na posição vertical.

O professor Reginaldo Motta, que é responsável pelo projeto, envolveu alunos do Ensino Médio articulado com o curso Técnico em Mecatrônica todos os processos de desenvolvimento. "Não pegamos uma cadeira de rodas pronta e adaptamos. Nós tivemos que construí-la toda, desde a estrutura", conta.

Segundo Motta, a cadeira motorizada foi planejada para ter o menor custo possível. "Enquanto as cadeiras hoje existentes custam em média R$ 10 mil, a nossa custará cerca de R$ 2 mil e ainda possui mais recursos", diz Motta. O equipamento possui uma articulação mecânica, que aumenta a acessibilidade das pessoas com limitação de movimento. "Muitas vezes, o cadeirante não consegue alcançar o telefone público ou um produto na prateleira. Com esse recurso, isso será mais fácil", completa.

O desenvolvimento iniciou em 2008, com uma pesquisa de campo. Em seguida, os alunos se dedicaram à modelação eletrônica em 3D. Na fase final, de fabricação, foi preciso utilizar o conhecimento adquirido na parte de mecânica e eletrônica. Depois de quase dois anos de trabalho, o protótipo deve ficar pronto ainda este mês, com a chegada de um motor elétrico especial. A intenção é concorrer no prêmio Inova SENAI deste ano, na categoria Aluno. Ao todo, 25 alunos da unidade do SENAI/SC em Jaraguá do Sul ajudaram no projeto. Em sintonia com a atividade, professores de outras disciplinas aproveitaram para abordar conteúdos relacionados e promover a educação interdisciplinar: os de Biologia, por exemplo, trataram de doenças que afetam a locomoção; enquanto os de Sociologia promoveram debates sobre inclusão social de pessoas com deficiência.
Fonte: Sentidos

23 de set de 2009

Crianças brincam com cães no Dia da Luta da Pessoa com Deficiência

Por onde passa em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio de Janeiro, o sorriso alegre do pequeno torcedor do Flamengo chama a atenção. Com paralisia cerebral, Jorge Luís, de 10 anos, participou nesta segunda-feira (21) da comemoração pelo Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. Tímido, ele afaga carinhosamente o golden retriever Moleque.

A iniciativa é do Rioinclui (obra social da cidade), em parceria com a Secretaria municipal da Pessoa com Deficiência e a Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais, além da Guarda Municipal. Juntos, esses órgãos promovem um dia de terapia com cães, a chamada cinoterapia. O objetivo é trabalhar a hiperatividade, comunicação, autoestima, memória e as boas sensações entre as pessoas com deficiência. Os animais também ajudam a superar a depressão. “O foco aqui é a criança. A terapia com cães trabalha a linguagem, a postura e a relação interpessoal dessas crianças”, conta a coordenadora técnica da Secretaria da Pessoa com Deficiência, Isabel Gimenes.

Jorge é uma das crianças que frequentam o Centro municipal de Referência da Pessoa com Deficiência, em Vila Isabel, que atende cerca de 730 crianças. Para conversar, ele usa um livro com figuras e frases que expressam sentimentos e desejos. As figuras dizem se ele está triste, feliz, cansado, com frio ou calor, por exemplo. “Ele está bem melhor e é muito feliz. Eu que não sou feliz porque ele não anda, mas meu filho está sempre com um sorriso no rosto. A minha filha Maria Clara, de 5 anos, que nasceu normal, entende tudo o que ele quer. Às vezes, ela fala pra mim, ‘mãe, ele quer água’, porque ele está olhando para a geladeira”, fala a mãe, Maria Dalva da Silva. Além de Jorge, outras crianças tiveram nesta segunda-feira (21) a oportunidade de um primeiro contato com cães dóceis e afáveis. Normalmente, as raças mais indicadas para o contato com as crianças são pastor alemão, labrador e golden retriever.


O trabalho com as crianças inclui aulas de fisioterapia, fonoaudiologia, musicoterapia e terapia ocupacional.

Segundo o o IBGE, mais de 24 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência física ou mental em todo o Brasil.
Cursos gratuitos
A prefeitura abriu
cursos gratuitos de capacitação em oito áreas de atuação, com todo o material didático incluído. As aulas começam no dia 19 de outubro.

Os cursos oferecidos são: informática, promotor e repositor de vendas para o varejo, teleatendimento e telemarketing, técnicas de vendas e negociação, auxiliar administrativo, auxiliar de serviços gerais, arquivista e porteiro. Todos têm carga horária de 45 horas e as aulas acontecem duas ou três vezes por semana no Centro Integrado de Atenção à Pessoa com Deficiência (CIAD) Mestre Candeia, no Centro.

Os alunos podem optar por mais de um curso. Para se matricular, é preciso ter 16 anos ou mais e ser portador de qualquer tipo de deficiência. Os candidatos devem apresentar CPF, RG e comprovante de residência. Outras informações pelo telefone (21) 2286-3306.

Fonte: Globo.com
Foto: Cláudia Loureiro/G1

22 de set de 2009

Programação especial comemora o Dia Nacional da Pessoa com Deficiência

Para comemorar o Dia Nacional da Pessoa com Deficiência, 21 de setembro, a Prefeitura de São Paulo promove uma semana com várias atividades voltadas a essa parcela da população, que já soma 1,5 milhão de pessoas na Capital.

De 22 a 26 de setembro, o Centro Cultural São Paulo apresenta a Semana da Acessibilidade, com uma ampla programação: contação de histórias e teatro infanto-juvenil com tradução em Língua Brasileira de Sinais (Libras), exibição do filme O ano em que meus pais saíram de férias com audiodescrição, o Grande Baile Acessível (aula aberta de dança de salão), além de visitas guiadas para explorar o espaço do Centro Cultural usando sentidos além da visão, por meio de experiências sensoriais e jogos táteis.

O evento comemora também os 200 anos do nascimento de Louis Braille, o criador da escrita para cegos.

No dia 22 de setembro, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED) debate em seminário a qualidade e as formas de ocupação dos passeios públicos da Capital, considerados um espaço fundamental para garantir a acessibilidade nas ruas e, conseqüentemente, a inclusão social dessa parcela da população. O encontro, intitulado Passeios Públicos e Mobiliário Urbano na Cidade de São Paulo, tem o apoio do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) e da Secretaria Municipal de Infra-Estrutura e Obras. Será realizado das 13h30 às 18h30, no auditório do Sinduscon-SP, na rua Dona Veridiana, 55, Santa Cecília.

O seminário reunirá arquitetos, engenheiros, produtores de cimento e asfalto, representantes de diferentes setores do Poder Executivo, empresas concessionárias de serviços públicos e demais interessados no tema. Um dos objetivos do encontro é colher subsídios para que seja elaborado um Plano de Ação sobre Acessibilidade e Mobilidade Urbana nos Percursos a Pé para todas as pessoas, indistintamente, incluídas as com deficiência e mobilidade reduzida. Os exemplos dos problemas enfrentados diariamente por quem tenta circular pelas calçadas paulistanas a bordo de uma cadeira de rodas ou usando uma bengala são muitos: pisos irregulares e desgastados, degraus no meio do caminho, inclinações acima do razoável, ausência de sinalização sonora em cruzamentos, de piso tátil e de áreas verdes para escoamento das águas de chuva e faixas de circulação estreitas.

20 de set de 2009

ONGs do Rio promovem caminhada pelo Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

A organização não governamental Espaço Novo Ser promoveu hoje (20), na praia de Copacabana, a 2ª Caminhada da Acessibilidade. O evento faz parte das comemorações do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, lembrado amanhã (21), em todo o país.

O evento, que teve o apoio da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH), reivindicou a equiparação de direitos, mais ações sócioinclusivas e de acessibilidade para todas as pessoas, independente de gênero, cor de pele, orientação religiosa ou condição física, informou à Agência Brasil a presidente da ong, Nena Gonzalez.

“Queremos chamar a atenção da sociedade e pedir aos órgãos responsáveis que olhem com mais carinho as necessidades que as pessoas com deficiências têm, para consolidar a inclusão", frisou Nena. "Estamos nos mobilizando e juntando forças em prol do exercício da cidadania”, completou.

Os participantes do movimento encaminharam às autoridades governamentais um manifesto com as reivindicações das associações de pessoas com algum tipo de deficiência.

Um dos organizadores Ricardo Gonzalez, que é cadeirante, chamou a atenção para a adaptação das cidades às necessidades das pessoas com deficiências.

“A gente defende que deficiente não é a pessoa, mas sim a cidade que não a acolhe dignamente. Não somos nós que somos deficientes.A gente tem uma diferença e celebra a diversidade.”

A caminhada contou com apoio de várias entidades ligadas a deficientes, além de artistas, como a cantora Alcione, e autoridades federais e estaduais. O movimento pela acessibilidade começou em São Paulo, em 2004, sob a coordenação da entidade SuperAção e já se estendeu, inclusive, a países vizinhos do Mercosul. Em outubro, haverá, também pela segunda vez, um evento com a mesma finalidade na Argentina. Em novembro, está programada a caminhada da acessibilidade em Porto Alegre e, em dezembro, em São Paulo.

Tabata Contri, da organização da SuperAção, assegurou que em São Paulo as pessoas com deficiências já obtiveram alguns ganhos, principalmente na Avenida Paulista, onde já existem rampas para cadeirantes, farol sonoro e piso tátil para cegos. Ela disse que a ideia é que cada estado e cidade do Brasil faça um movimento de superação.

“Que façam no mesmo dia, no mesmo momento, para brigar, no bom sentido, por acesso, porque não tem. A gente não tem um banheiro acessível na praia de Copacabana, por exemplo”, disse. Ela lamentou que o setor empresarial ainda não tenha feito adaptações nas lojas para acesso aos deficientes, nem percebeu que eles também são consumidores potenciais.

O espaço Novo Ser foi criado há sete anos e tem por missão lutar pelo respeito e a valorização da cidadania das pessoas com deficiência.
Fonte: Correio Brasiliense

18 de set de 2009

Agências e postos bancários deverão se adaptar para atender deficientes

As agências e postos bancários deverão assegurar condições de acessibilidade e de atendimento prioritário para pessoas com diferentes tipos de deficiência (física, visual, auditiva e mental). É o que prevê um termo de ajustamento de conduta firmado entre Ministério Público Federal no Ceará, Ministério Público do Estado do Ceará e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Entre outras medidas que constam no termo estão: adaptações do mobiliário; disponibilização de rampas de acesso ou equipamentos eletromecânicos de deslocamento vertical; instalação de assentos de uso preferencial; atendimento em Libras (Língua Brasileira de Sinais); oferta de extrato mensal de conta corrente em braile; reserva de vagas em estacionamentos com a devida sinalização; instalação de sanitários adaptados; disponibilização de terminais de auto-atendimento adaptados.

O termo de ajustamento de conduta estabelece metas a serem cumpridas pelas instituições financeiras, com prazos e percentuais das agências, postos e terminais de auto-atendimento que devem ser adaptados. Ao final de cada período, os bancos terão que apresentar relatórios. Em caso de descumprimento das metas ou de não prestação de contas ficarão sujeitos a multa.
De acordo com a procuradora regional dos Direitos do Cidadão, Nilce Cunha, há muito tempo se vem lutando para que os bancos façam adequações nas agências. Esse termo de ajustamento de conduta, avalia, "é passo significativo para resgatar a dignidade das pessoas que tenham eventual ou permanente deficiência".

Bancos que aderiram ao termo de ajustamento de conduta:
ABN AMRO REAL
ALFA
BANCO DO BRASIL
BANCO DO NORDESTE
BANCO DE TOKYO-MITSUBISH UFJ BRASIL
BANCO INDUSTRIAL E COMERCIAL (BIC)
BANCO J. SAFRA
BANRISUL
BMG
BPN BRASIL BANCO MÚLTIPLO
BRADESCO
BRB - BANCO DE BRASÍLIA
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
CALYON BRASIL
CITIBANK
CITICARD
HSBC
ITAÚ
MERCANTIL DO BRASIL
NOSSA CAIXA
RABOBAK INTERNACIONAL BRASIL
SAFRA
SANTANDER
SOFISA
UNIBANCO
Fonte: site da PRR

17 de set de 2009

Com Edu de padrinho, Timão faz parceria para inclusão social de pessoas com deficiência

O presidente do Corinthians, Andrés Sanches, anunciou na manhã desta quinta-feira, dia 17/09/09, no Parque São Jorge, uma parceria com a Special Olympics Global Football, organização internacional sem fins lucrativos que apoia o esporte para deficientes intelectuais.

Como padrinho da iniciativa, o Timão escolheu o volante Edu. - "Não tem muitas palavras. Ser escolhido para representar um projeto como esse me deixa cheio de orgulho. É um prazer enorme" – declarou o jogador. Edu é um dos ídolos de Demetrius, zagueiro do time da Special Olympics e que esteve no Parque São Jorge para ajudar na apresentação do projeto. Esbanjando bom humor e irreverência, o atleta especial intimou Edu a lhe dar uma camisa número 3 do Corinthians (roxa e preta). E deu sorte: acabou ganhando também a principal. - "Edu, você é um grande jogador, estou muito feliz em te conhecer. Se Deus quiser você vai trazer muitas alegrias ao Corinthians e a Libertadores também" – comentou Demetrius, feliz com a parceria entre Timão e Special Olympics.

Andrés Sanches, por sua vez, falou da importância de o Corinthians estar envolvido em uma iniciativa que permita a inclusão social de vários torcedores do Alvinegro. - "É uma honra para o Corinthians participar desse movimento. Dentre os nossos torcedores temos muitas pessoas que podem participar. Esperamos cada vez mais estar junto de projetos de inclusão social" – declarou o mandatário alvinegro.

O Corinthians é o terceiro clube a ter um time da Special Olympics. O Internazionale de Milão, da Itália, e o Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos, são os outros.

Fonte: Globo Esporte

Sesi capacita pessoas com deficiência em SC

Os cursos de ensino fundamental, médio, informática e capacitação para o trabalho, ministrados na Unidade do Serviço Social da Indústria (Sesi) da Grande Florianópolis, já atendem 100 estudantes, todas pessoas com algum tipo de deficiência.

O Programa de Inclusão da Pessoa com Deficiência na Indústria, que visa elevar a escolaridade para contribuir na inclusão destas pessoas no mercado de trabalho, é composto por uma série de ações.

Na primeira é feito um censo da pessoa com deficiência nos municípios de Santa Catarina em que há representatividade industrial e interesse dos empresários locais. É a partir destas informações que se identifica o perfil socioprofissional das pessoas com deficiência. Em outra etapa do programa, o Sesi mobiliza e sensibiliza indústrias e pessoas com deficiência.

Outra ação deste projeto é oferecer cursos de ensino fundamental e médio, ministrados na modalidade da Educação de Jovens e Adultos, com metodologia e salas de aula com recursos adequados a cada tipo de deficiência.

Unidades de educação como a de São José também são oferecidas nos municípios de Caçador, Joinville, Brusque, Blumenau, Videira e Jaraguá do Sul, além de Marau, no Rio Grande do Sul.
Os cursos também podem ser ministrados em salas de aulas das empresas promotoras. Cerca de 600 alunos estão matriculados e mais de 46 indústrias do estado são parceiras no projeto.
Informações sobre as aulas do Programa de Inclusão da Pessoa com Deficiência na Indústria: (48) 3381-9100.
Fonte: Clic RBS

16 de set de 2009

Superação Rio 2009

O Espaço Novo Ser (ENS) e o Movimento Superação convidam representantes de intituições voltadas para pessoas com deficiência para participar da I Apresentação Aberta de Preparação da Passeata Superação Rio 2009 a se realizar no próximo dia 30 de junho às 14:00 horas, na sala 207 da Universidade Estácio de Sá - Campus Tom Jobim - Barra da Tijuca. Na ocasião serão discutidas questões importantes referentes à organização da edição 2009 do Superação Rio.

O Espaço Novo Ser é uma instituição sem fins lucrativos cuja missão é a luta pelo respeito e a valorização da cidadania das pessoas com deficiência, de forma a promover os seus direitos, a equalização das oportunidades e a superação dos obstáculos sociais predominantes ao processo de Inclusão.

O evento em si trata-se da idéia de promover em plena Orla de Copacabana (em um percurso entre os hotéis Othon e Meridien) uma grande celebração em prol do movimento socioinclusivo da pessoa com deficiência, em função do seu 'Dia Nacional de Luta' - 21 de setembro.

Com o lema "Pelo Respeito à Diversidade", a segunda edição da Passeata Superação Rio, marcada para o dia 20 de setembro, na orla de Copacabana, tem como objetivo enfatizar junto aos setores da sociedade a importância de se respeitar o direito de todas as pessoas, independentemente de cor da pele, gênero, idade, ideologia política ou religiosa, orientação sexual, condição física, intelectual, sensorial ou social, ao propiciar numa manhã de domingo, momentos de descontração e conscientização. Embalados por um animado trio elétrico repleto de atrações e de personalidades artísticas, onde o público presente tenha a oportunidade de celebrar a diferença/deficiência, na tentativa de projetar a cidade do Rio do Janeiro em uma das boas referências nacionais, ao se tratar, de garantia de direitos das pessoas com deficiência.
Fonte: Sentidos

15 de set de 2009

Especialista em inserção de pessoas com deficiente visual no mercado de trabalho dá palestra no CAT Luz

Na próxima quarta-feira, dia 16, o Ciclo de Palestras Multiprofissional do Centro Municipal de Formação Profissional, da Secretaria Municipal do Trabalho recebe a especialista em inserção de pessoas com deficiência visual, Tania Jung, da Fundação Dorina Nowill para Cegos. A palestra é gratuita e voltada para profissionais de recursos humanos, deficientes visuais e demais interessados.

Para Tânia, falta informação tanto para as pessoas com deficiências visuais, quanto para os possíveis empregadores sobre as potencialidades vocacionais e campos de atuação desses profissionais. “Durante a palestra, serão apresentados alguns dos muitos recursos existentes para facilitar a execução do trabalho da pessoa cega ou com baixa visão”, explica. As pessoas com deficiência vão apreender técnicas para conhecer e explorar toda sua capacidade vocacional.

O Ciclo de Palestras abordará temas atuais de interesse público e social, como saúde, cultura, recursos humanos, programação neuro linguística, vocação, nichos do mercado de trabalho, comportamento e motivação.

Os interessados em participar podem efetuar a inscrição até terça-feira dia 15 pelo e-mail
palestrascatluz@prefeitura.sp.gov.br, informando os números do CPF e do RG, ou pessoalmente no CAT Luz. No total, são 130 vagas, por palestra.

Serviço:
Local: CAT Luz, Avenida Prestes Maia, 913,
Horário: das 14h as 15h30

14 de set de 2009

Métodos de ensino são adaptados em aulas de música para pessoas com deficiência no Pará

Adaptar instrumentos, com a criação de métodos de ensino, foi a forma encontrada pelos monitores de música da Fundação Carlos Gomes (FCG), que atuam na Associação Paraense de Pessoas com Deficiência (APPD), para aplicar nas aulas de ensino musical. Eles integram a equipe técnica do projeto Música e Cidadania da FCG.

“Buscar a inclusão de portadores de deficiência, por meio do aprendizado musical, é um dos nossos objetivos com o projeto Música e Cidadania, em parceria com a APPD. Isso se dá a partir de um ambiente de convivência e inclusão, que resulta na sociabilidade, aumento da autoestima, sensibilidade e criatividade dos alunos lá atendidos”, relata Júlia Câmara, coordenadora do projeto. A criatividade também faz parte do cotidiano dos professores. É o que confirma o musicista Sandro Santarém, professor de canto e percussão do projeto. “Houve necessidade de uma adaptação dos métodos usualmente utilizados, visando o melhor aproveitamento dos alunos, deficientes ou não. A ação em si mesma tem um forte significado de superação dos problemas vivenciados por eles”, evidencia o monitor.

Como resultado desse esforço conjunto, os alunos acabam aprendendo não só música, mas também a superar suas limitações, o que é percebido nas diversas apresentações do grupo, como confirma Sandro Santarém. “Nós percebemos que as apresentações musicais realizadas pelos alunos vêm se tornando mais amadurecidas, não só pelas execuções, mas também pela postura de palco. Mais que tocar um instrumento, eles contradizem o que sempre ouviram: que eles nunca seriam capazes”.

Adaptação - “A gente precisa trabalhar com instrumentos adaptados”, diz Adriano Cruz, instrutor de teclado. “Por exemplo, um teclado que utilizamos com portadores de síndrome de down, com as teclas com adesivos coloridos, separados por oitavas, trouxe grandes resultados no aprendizado dos alunos.” Elaine Valente, professora de violão, há dois anos no projeto, relata como conseguiu estimular a memorização dos acordes do violão de seus alunos que possuem deficiência mental, visual, auditiva, física, além de hiperativos. “Eu tive a ideia de pregar adesivos no braço do violão para que eles pudessem decorar as cifras dos acordes. Os adesivos têm letras ou são coloridos para facilitar essa assimilação", relata, ao informar que teve resultados maravilhosos.

Judson Brito, monitor de flauta doce, também precisou fazer adaptações para o ensino musical de pessoas com problemas de articulação nas mãos. “Começamos a adaptar algumas coisas no ensino formal da flauta, em especial na gramática musical. Primeiro, nós identificamos as posições da flauta com as notas, relacionando com a escrita normal dessas notas", explica.

Inclusão - As atividades de ensino musical do projeto Música e Cidadania são desenvolvidas na APPD desde 2007, quando foi firmado um convênio com a FCG. As turmas são heterogêneas e funcionam duas vezes por semana, com duas horas de aula, com instrumentos musicais cedidos pela APPD. Lá, são realizadas aulas de canto, violão, teclado, cavaquinho e flauta doce. Júlia Câmara informa que os alunos são pessoas com dificuldade de locomoção, dificuldades motoras nos dedos e mãos, surdez parcial e total, deficiência visual e mental e hiperatividade. Também participam alunos sem deficiência, familiares dos associados e da comunidade. A faixa etária vai de 8 a 65 anos de idade, num total de 123 alunos.
Fonte: Agência Pará de Notícias

11 de set de 2009

66 países ratificaram direitos das pessoas com deficiências

Representantes de dezenas de países se reuniram na sede da ONU, em Nova York, entre os dias 2 e 4 de setembro, para debater e fortalecer os direitos das 650 milhões de pessoas com deficiências no mundo.

A Conferência dos Estados Partes da Convenção das Pessoas com Deficiência teve como objetivo aprimorar os direitos desta parcela da população através de leis nacionais e outras medidas de Estado.

A convenção da ONU garante às pessoas com deficiências o acesso à educação, saúde, trabalho, condições adequadas de moradia, liberdade de movimento e igualdade perante as leis. O acordo foi assinado, até o momento, por 142 países, incluindo o Brasil, e ratificado por 66 nações. A diretora do conselho dos Centros de Vida Independente do Brasil, CVI, Regina Atalla, disse à Radio ONU, em Nova York, que o debate ajudou a promover os direitos das pessoas deficientes.

9 de set de 2009

‘Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência’ será comemorado no Sesipark, em Cuiabá

No mês em que é comemorado o ‘Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência’, celebrado em 21 de setembro, uma série de ações são realizadas em todo o país para homenagear pessoas com deficiência e conscientizar o restante da população quanto à importância de iniciativas que promovam a inclusão social.

Para atingir este objetivo, o Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Sistema Fiemt), por meio do Serviço Social da Indústria (Sesi-MT) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-MT) promove em Cuiabá a segunda edição do evento em comemoração à data, no dia 17 de setembro (quinta-feira), a partir das 8h.

O local escolhido foi novamente o Sesipark, maior complexo de lazer do Estado, localizado no bairro Morada do Ouro, na capital. Neste dia, o parque estará aberto gratuitamente para as pessoas com deficiência e um acompanhante, que poderão aproveitar toda a estrutura do local e participar das atividades programadas especialmente para a ocasião. Como no ano anterior, os visitantes terão direito a almoço, lanches no período da manhã e a tarde, pipoca, algodão doce, picolé, refrigerante e água, tudo de graça. O evento terá ainda atrações culturais, entre elas o show dos humoristas Nico e Lau e do Grupo Jaboti, que apresentará um teatro de bonecos.

Em 2008, o evento reuniu mais de 2.000 visitantes. “A data que celebra a luta das pessoas especiais merece uma comemoração grandiosa como esta que será promovida pelo Sistema Fiemt, que valoriza a promoção de ações sociais e de cidadania para a população mato-grossense”, avalia o presidente do Sistema Fiemt, Mauro Mendes. Para este ano, é esperada a participação de mais de 2.500 pessoas. “Em virtude do sucesso registrado na edição anterior, estamos nos preparando para receber um público ainda maior”, destaca.

Para garantir o acesso ao local do evento, será disponibilizado transporte gratuito que sairá de pontos estratégicos da cidade com destino ao Sesipark.

CADASTRO – Durante o evento, será realizado o mapeamento do perfil e das necessidades de formação profissional das pessoas com deficiência, por meio de um cadastro que levantará informações como o tipo de deficiência, escolaridade, transporte utilizado, cursos profissionalizantes, entre outros. A iniciativa faz parte do ‘Programa Senai de Ações Inclusivas’ (PSAI), que visa oferecer cursos de qualificação e aperfeiçoamento profissional a este público. Na edição do ano passado, foram realizados mais de 600 cadastros. “Com as informações obtidas no ano anterior, montamos um banco de dados que utilizamos para a formatação de cursos que sejam adequados às necessidades deste público e para atender as demandas de empresas que nos procuram em busca de profissionais com deficiência para contratação”, explica a coordenadora do PSAI, Denise Molina. A coordenadora ressalta ainda que as pessoas que já possuem o cadastro podem atualizá-lo durante o evento. “É a oportunidade para que aqueles que tiveram alguma mudança de endereço, telefone ou alguma outra informação possa manter seu cadastro atualizado”, finaliza.

PROGRAMAÇÃO – Confira a programação do evento, que será realizado no dia 17 de setembro (quinta-feira), a partir das 8h, no Sesipark.
Mais informações pelos telefones (65) 3611-1560/1554.
8h - Recepção dos convidados
9h - Hidroginástica e brincadeiras
10h - Show com NICO & LAU11h - Almoço
13h - Atividades culturais
14h - Teatro de bonecos com o grupo Jaboti
16h - Encerramento

8 de set de 2009

Pessoas com deficiência desfilam pedindo participação e acessibilidade

Milhares de pessoas tomaram conta da avenida Getúlio Vargas para o Desfile de 7 de Setembro em Rio Branco. Alunos e coordenadores da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e do Instituto Dom Bosco deram um show de alegria e festa quando entraram na avenida, logo após a abertura das corporações do exército brasileiro.

A Apae apresentou neste ano o tema da campanha nacional pela acessibilidade dos portadores de deficiência intelectual: "Igualdade, Dignidade, Participação". O Dom Bosco completa em 2009 33 anos de trabalho em favor dos portadores de necessidades especiais. Apae e Dom Bosco desfilaram com cerca de trezentos alunos e monitores.

Foto: Gleilson Miranda/Secom
Fonte: Agência de notícias do Acre

4 de set de 2009

Tecnologia para deficientes auditivos aporta nas empresas

Pessoas com deficiência física ganham novos serviços advindos das melhorias tecnológicas. Empresas como a companhia aérea Gol, Banco do Brasil e AMIL utilizam o sistema TS (telefone para surdos). Nesta tecnologia, o equipamento fica ligado a computadores nas posições de atendimento, e ao receber ligações de outro aparelho TS, a comunicação é estabelecida por meio de textos transcritos para um teclado alfa-numérico. O custo do dispositivo, que é um telefone público comum acoplado a um aparelho de teletexto é de aproximadamente R$ 2 mil.

Marcelo Botelho, especialista em tecnologia, percebeu que era possível investir neste nicho e trazer comodidade para pessoas com deficiência visual. Sua empresa Veus Technology é especializada no desenvolvimento de softwares principalmente para laboratórios, e o empresário logo percebeu uma falha nos laudos médicos: por serem exames impressos, uma pessoa cega precisava sempre pedir que outra olhasse seus laudos.

O laudo por voz foi um projeto lançado no inicio deste ano, que permite a consulta de resultados por meio do telefone. Do outro lado da linha, um computador faz a “leitura” do exame e vocaliza o que lê. A diferença do software para outros de vocalização é a perfeição de falar termos médicos.

Uma simulação do serviço pode ser feita pelo telefone (11) 2122-0202. Antes de ser inaugurado comercialmente, o projeto já havia sido aprovado pelos deficientes visuais do Instituto Benjamin Constant.
Texto: Fernando Souza Filho

3 de set de 2009

Adventure Sports Fair 2009 está mais acessível para o público com deficiência

Adventure Sports Fair, que acontece entre os dias 10 e 13 de setembro, realizou diversas transformações na sua montagem visando tornar o evento mais acessível para pessoas com algum tipo de deficiência. “Além de existir uma lei federal que obriga todos os espaços públicos a se adaptarem à acessibilidade, na verdade tomamos essas medidas ao sabermos que 13% dos brasileiros possuem algum tipo de deficiência que atrapalha na locomoção”, esclarece Sérgio Franco, sócio-fundador do evento.

A presença de balcões de atendimento, entradas preferenciais, banheiros acessíveis e sinalizados e orelhões acessíveis favorecerão as pessoas em cadeira de rodas que estiverem na feira. O estacionamento da feira e também as praças de alimentação terão lugares reservados.

Participação – As pessoas com deficiência também poderão participar de algumas atrações da Adventure Sports Fair, como bicicletas adaptadas e tirolesa. Estandes de ONGs relacionadas ao tema vão expor equipamentos adaptados para a prática de aventura. Esportistas com deficiências físicas também marcarão presença para contar suas experiências vividas.

Buscando beneficiar deficientes auditivos e visuais, haverá um orelhão específico (TPS) e sinalização em braile e, no caminho a ser percorrido na feira, existirá piso tátil e alerta direcional. Para melhorar ainda mais, um serviço de táxis adaptados prestará serviço para os visitantes com deficiência, com a mesma tarifa aplicada normalmente na capital paulista. Os interessados podem conferir mais informações em http://www.taxiacessivel.com.br/.

Quer evitar as filas que se formam para adquirir o ingresso para a Adventure Sports Fair? No Webventure você pode adquirir seus convites para o evento via Internet, pagando com boleto bancário ou cartão de crédito.

2 de set de 2009

VI Semana da Pessoa com Deficiência reúne 1,5 mil pessoas

Cerca de 1,5 mil pessoas participaram das atividades da VI Semana da Pessoa com Deficiência, que foi realizada integralmente pela Prefeitura de Vinhedo em parceria com o Conselho da Pessoa Portadora de Deficiência entre os dias 24 de 30 de agosto.
O encerramento das atividades da semana aconteceu no último sábado, dia 29, com o I Festival Inclusivo de Esportes, realizado no Centro Integrado de Cidadania Eduardo Von Zuben, na Capela.

O prefeito Milton Serafim anunciou durante o festival o lançamento do Cadastro Único da Pessoa com Deficiência. O Cadastro vai possibilitar um censo dos deficientes na cidade, identificados por uma carteirinha que poderá ser utilizada nas atividades de todas as secretarias e pelas instituições que assistem as pessoas com deficiência. Para marcar o lançamento, o prefeito entregou o primeiro formulário e a primeira carteirinha ao presidente do Conselho da Pessoa Portadora de Deficiência, Luis Fernando Cavalli.

As pessoas com deficiência interessadas em obter a carteirinha devem procurar a Secretaria de Esporte e Lazer e retirar o formulário. Mais informações pelo telefone 3846-7155.

O Festival Inclusivo de Esportes contou com representantes de Vinhedo e também da região como o PEAMA (Programa de Esportes e Atividades Motoras Adaptadas), da Secretaria de Esportes de Jundiaí, e da Associação de Esportes Adaptados de Campinas (Adeacamp), Tigres, de São Paulo, e Associação dos Policiais Militares com Deficiência do Estado de São Paulo (APMDFESP), demonstrando as modalidades de capoeira, golbol, futsal adaptado, hóquei adaptado, ciclismo adaptado, esgrima adaptada, basquete em cadeira de rodas, rugby em cadeira de rodas, futebol de cegos, mergulho adaptado, tirolesa, canoagem, tênis de mesa entre outras atividades como a apresentação da nadadora Raquel Viel. O mantenedor do Colégio Santanna, Antonio Hugo Teixeira, responsável pelo patrocínio da atleta, recebeu uma homenagem das mãos do Secretário Gustavo Zampieri por dirigir a primeira empresa da cidade a patrocinar um atleta com deficiência.

A programação da Semana apresentou palestras, vivências, debates e apresentações nas áreas de Cultura com a função de mobilizar e conscientizar a população desmistificando os preconceitos em relação às pessoas com deficiência.

O encerramento oficial da VI Semana da Pessoa com Deficiência foi realizado no domingo, dia 30, durante o I Festival de Inverno de Vinhedo, com pronunciamento de Luis Fernando Cavalli e atrações como a pintora Daniela Caburro (pintura com boca) e do Cau do Teclado (Deficiente Visual).
Fonte: Jornal de Vinhedo