23 de dez de 2009

Anvisa exige que embalagens tenham nome de remédio em braile

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou nesta quarta-feira que os rótulos dos medicamentos deverão trazer o nome do produto em braile. A mudança pretende garantir a acessibilidade e segurança no uso dos remédios por pessoas com deficiência visual e faz parte de uma resolução publicada no Diário Oficial da União de hoje.

As empresas têm 540 dias para disponibilizar as novas embalagens no mercado. Além da exigência da impressão em braile, informações como número do lote, data de validade e data de fabricação do medicamento deverão estar impressas em tinta colorida. O uso de baixo e alto relevo fica proibido. Caso necessário, os rótulos deverão alertar se o remédio tem prazo de validade reduzido após a abertura.

Os laboratórios só poderão utilizar figuras nas embalagens se tiverem alguma finalidade de auxiliar no uso do medicamento. Outras figuras que possam causar confusão ao paciente ou induzir ao uso inadequado do produto não serão permitidas.

A resolução prevê ainda a inclusão de elementos nos rótulos que possibilitem o rastreamento do produto desde sua fabricação até a venda. A partir do momento em que os mecanismos estiverem implantados, a embalagem não precisará mais apresentar a tinta reativa (conhecida como "raspadinha") que comprova a origem do medicamento.
Fonte: Terra

14 de dez de 2009

Projeto Preparar para Incluir forma 41 pessoas com deficiência na Zona Sul

O Instituto Paradigma, em parceria com o Instituto Camargo Corrêa e a CNEC Engenharia, entrega na próxima quinta-feira, dia 17, o certificado de conclusão do curso de qualificação profissional do projeto Preparar para Incluir, destinado a pessoas com deficiência residentes na Zona Sul, em São Paulo. A cerimônia terá início às 8h30, na Casa Popular de Cultura M´Boi Mirim (Rua Inácio Dias da Silva, s/n, próximo à Praça da Piraporinha e à estrada M´Boi Mirim), com a presença de Francisco Azevedo, diretor executivo do Instituto Camargo Correa, José Ayres de Campos, superintendente da CNEC Engenharia, Luiza Russo, presidente do Instituto Paradigma, e Thais Certain, mediadora.

O curso teve início em maio deste ano, desdobrando-se por três turmas que totalizaram 60 pessoas. Destas, 41 chegaram ao final dos módulos e vão receber o certificado. Segundo os organizadores, uma das principais conquistas deste projeto foi a articulação das oportunidades existentes na região, ampliando as possibilidades de trabalho e geração de renda aos alunos. “Eles puderam entrar em contato com oficinas e projetos locais de acordo com seu próprio interesse (panificação, artesanato, marcenaria etc.). Em contrapartida, essas organizações puderam encaminhar alguns de seus beneficiários para o módulo de empreendedorismo do projeto Preparar para Incluir, numa verdadeira troca de conhecimento e de oportunidades”, afirma Luiza Russo, presidente do Instituto Paradigma. Segundo ela, a articulação de uma rede de organizações na região permitiu disseminar um ambiente de aprendizagem inclusivo e ampliar as experiências destas organizações em relação à convivência com as pessoas com deficiência nos seus projetos. “Além disso, a constituição da rede possibilita a sustentabilidade da prática proposta pelo Preparar para Incluir e sua continuidade, independente da continuidade do próprio projeto”, explica.

“Sabemos da dificuldade das empresas em cumprir a legislação. Com este projeto, estamos colaborando duplamente com a sociedade ao capacitar pessoas e, ao mesmo tempo, pessoas com deficiência”, diz José Ayres de Campos, diretor-executivo da CNEC Engenharia. Segundo Francisco Azevedo, diretor executivo do Instituto Camargo Corrêa, “Com certeza esses alunos estão saindo daqui com uma perspectiva de futuro maior do que entraram, pois além de capacitar para o trabalho formal, o curso também prepara o aluno para empreender negócios próprios”.

O projeto Preparar para Incluir integra o Programa Futuro Ideal, realizado pelo Instituto Camargo Corrêa em outras 21 cidades brasileiras e em Luanda, em Angola, cujo foco é oferecer oportunidade de inserção do público juvenil no mercado de trabalho.
Fonte: Inclusive

7 de dez de 2009

Daniela Mercury só fará shows com acessibilidade garantida

A cantora Daniela Mercury, que a partir de hoje se tornará cidadã paulistana, está dando um show social e politicamente correto. A baiana acaba de se comprometer com a vereadora Mara Gabrilli a só se apresentar em locais em que o acesso a pessoas com deficiência estiver garantido.

A informação é da assessoria de Mara Gabrilli. O evento de hoje acontecerá no Bar Brahma, às 18h30. Mara resolveu propor o nome de Daniela à Câmara "pelo conjunto da obra", ou seja, pelos projetos sociais e pela qualidade artística de Daniela, conta a assessoria.

Fonte: Terra

5 de dez de 2009

Memorial da Inclusão

A cidade de São Paulo passou a sediar o único, maior e mais completo memorial que resgata os personagens, as lutas e as conquistas pelos direitos da pessoa com deficiência da América Latina. O Memorial da Inclusão reunirá, em um só espaço, fotografias, documentos, manuscritos, áudios, vídeos e referências aos principais personagens, às lutas e às várias iniciativas que viabilizaram conquistas e melhores oportunidades às pessoas com deficiências.

O local visa também registrar e resgatar um dos períodos mais importantes da história sócio-cultural e política do movimento de luta das pessoas com deficiência, que ocorreu no início dos anos 80 e que culminou, em 1981, com a criação do Ano Internacional da Pessoa com Deficiência (AIPD), pela ONU.

Um dos destaques do lugar, a Sala Preparatória dos Sentidos, será um local escuro, com painéis de texturas diversas, alteração de temperatura e sensores sonoros e de odor. A ideia é a de que o visitante reflita sobre a importância dos sentidos como tato, visão e audição. Outra novidade foi a instalação de sound tubes, para pessoas com deficiência visual que não leem em braile. Ao se colocar sob estes equipamentos, que fazem a audiodescrição dos painéis, a pessoa poderá ouvir toda a história contada na obra. Ainda sob o sound tube, há uma bancada com o texto em braile.
Fonte: Guia SP

3 de dez de 2009

Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

O mundo celebra hoje, dia 3 de dezembro, o Dia Internacional das Pessoas com Deficiências. Segundo comunicado emitido pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos, a data serve para relembrar a importância da ratificação da Convenção pelos Direitos dos Deficientes, que entrou em vigor em maio de 2008.

Vinte países ratificaram o tratado o ano passado, número que aumentou para 75 em 2009. A Convenção garante a melhora nas vidas de 650 milhões de pessoas com deficiências no mundo. Segundo o Comitê pelos Direitos das Pessoas com Deficiências, órgão independente do Alto Comissariado formado por especialistas no assunto, ainda há muito progresso para ser feito.


O Comitê cita a privação pelo direito de agir como um dos exemplos, já que os deficientes tem quase sempre seu poder de decisão transferido para outra pessoa em tribunais e processos legais.

A gerente de atendimento especializado da Fundação Dorina Nowill para Cegos, Maria Cristina Felippe, disse à Rádio ONU, de São Paulo, que o Brasil tem mais de 16 milhões de deficientes visuais, de acordo com dados do IBGE. Ela afirmou que é preciso focar no potencial dessas pessoas. "Nós temos que olhar o deficiente visual ou qualquer deficiência, a pessoa com deficiência, olhar as suas potencialidades porque as perdas existem. Mas, antes de tudo, por ser uma pessoa, ela tem grandes possibilidades e é atrás da potencialidade que nós temos que ir em busca", afirmou. O cantor e compositor Stevie Wonder, cego desde o nascimento, será nomeado oficialmente nesta quinta-feira Mensageiro da Paz da ONU.

Fonte: O reporter

2 de dez de 2009

SP promove inclusão das pessoas com deficiência nos serviços públicos

Às vésperas do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, a Secretaria de Gestão Pública do Estado de São Paulo apresenta alguns serviços, iniciativas e programas dedicados a facilitar a vida de quem tem necessidades especiais, cerca de 4,2 milhões de pessoa, segundo o IBGE.

O Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, 3 de dezembro, foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) com a finalidade de conscientizar e sensibilizar a sociedade e o poder público para a igualdade de oportunidades a todos. Tais oportunidades no acesso a prédios públicos e de uso público, aos transportes, à educação, ao emprego e às informações e devem ter características distintas para as pessoas com deficiência física, mental, visual e auditiva.

Dos 4,2 milhões de pessoas com deficiência no Estado de São Paulo, 2,6 milhões têm deficiência visual. O Projeto Leitura, no posto do Poupatempo em Itaquera, zona leste de São Paulo, presta serviços a este segmento da população. O projeto proporciona acesso às informações que não são publicadas em Braille ou em livro falado. Os cidadãos levam diferentes materiais para serem lidos, como livros didáticos, apostilas de cursos, revistas, cartas, resultados de exames e receitas médicas, por exemplo. Voluntários do programa Escreve Cartas foram especialmente treinados para fazer este atendimento, que acontece às quartas-feiras em uma sala de leitura com isolamento acústico no Poupatempo de Itaquera.

As pessoas com deficiência visual também são o público-alvo dos cursos de capacitação profissional no posto do Acessa SP em parceira com a Associação de Deficientes Visuais e Amigos (Adeva), na Vila Clementino, zona sul de São Paulo. Os dez computadores do posto são equipados com o Virtual Vision, um programa sintetizador de voz que permite a navegação pelo ambiente Windows. No momento, cinco pessoas estão aprendendo a usar o programa, sendo que quatro delas já estão contratadas por empresas, que buscam profissionais com esse perfil.

No Poupatempo Itaquera está instalado um dos Terminais de Acessibilidade do e-poupatempo, que possibilitam a cidadãos com vários tipos de deficiência a utilização de serviços públicos por meio da internet. O serviço já estava disponível no Poupatempo Guarulhos e foi ampliado para as salas do e-poupatempo dos postos de Itaquera, Santo Amaro, São Bernardo do Campo, Ribeirão Preto e Campinas Shopping. Além dos programas tradicionais, necessários para acesso à internet, os terminais contam com software leitor de tela - que se comunica com o usuário mediante síntese de voz; além de uma webcam de alta definição, que permite que usuários paraplégicos ou com deficiência nos membros superiores usem o computador apenas com movimentos da cabeça e da face. "O conceito de atendimento do Poupatempo tem como princípio que todos são iguais sem distinção de qualquer natureza. Assim, o programa trabalha buscando o acesso universal em seus postos, preocupando-se com a acessibilidade arquitetônica, da informação e da comunicação", disse o secretário de Gestão Pública, Sidney Beraldo.

A deficiência auditiva, caracterizada pela incapacidade ou dificuldade permanente de ouvir, atinge mais de 984 mil paulistas, segundo o IBGE. Para atender à população com deficiência auditiva, todas as 15 unidades do Programa Poupatempo estão aptas a realizar o atendimento aos cidadãos por meio da Língua Brasileira de Sinais (Libras) utilizada para comunicação entre pessoas com deficiência auditiva. No posto de Santo Amaro, zona sul de São Paulo, por exemplo, são feitos cerca de 20 atendimentos em Libras por dia. Lá, como em outros postos, funcionários que dominam a técnica realizam cursos de capacitação de Linguagem Gestual periodicamente. O treinamento dura dois meses. "O sucesso é tanto que temos uma lista de funcionários interessados em aprender", afirma a atendente Andréa Gregorini, que é uma multiplicadora de Libras e também fundadora do coral que usa o mesmo recurso. Cerca de vinte funcionários ensaiam duas vezes por semana no Poupatempo Santo Amaro e se apresentam em datas comemorativas e eventos. O repertório eclético vai de músicas de Axé a canções de Natal, unindo sons e gestos. Quem não é funcionário do Poupatempo, mas também quer aprender a se comunicar com as pessoas com deficiência auditiva pode participar de uma das oficinas de Libras no Posto do Acessa SP do Parque da Juventude. São dois módulos com doze aulas cada, duas vezes por semana. As aulas são gratuitas e as próximas turmas serão abertas em janeiro.Também no Parque da Juventude, o Acessa SP conta com uma sala especialmente dedicada aos cidadãos com deficiência auditiva e visual, com dez máquinas. Os monitores atendem a quem não ouve em Libras e o software específico atende às necessidades de quem tem problemas de visão.
Fonte: O Reporter

Hopi Hari promove o dia nacional das pessoas com deficiência

O Hopi Hari irá sediar, dia três de dezembro, o lançamento oficial do dia nacional da pessoa com deficiência em parques e atrações turísticas. Na ocasião, o parque estará aberto com exclusividade para receber oito mil pessoas com deficiência, assistidas por 83 instituições de 31 municípios do Estado de São Paulo.

O projeto conta com um mascote, o personagem Luca, menino cadeirante criado por Maurício de Sousa para a Turma da Mônica. A intenção é que todos os complexos de lazer "abracem" a ação social e que seja possível realizar em 2010 a maior ação social de inclusão de deficientes do país, beneficiando simultaneamente 100 mil pessoas com deficiência. A ação foi idealizada pelo Sindepat (Sindicato Nacional de Parques e Atrações Turísticas) e pela Adibra (Associação Brasileira das Empresas de Parques de Diversão do Brasil).
Fonte: Mercado e Eventos