29 de mar de 2010

Conheça os equipamentos para deficientes usados em 'Viver a vida'

Os equipamentos especiais para deficientes físicos utilizados pela personagem Luciana (Alinne Moraes) na novela “Viver a vida” estão fazendo o maior sucesso. Segundo a Central de Atendimento ao Telespectador (CAT) da Rede Globo, oito dos dez produtos que mais atraíram a atenção do público em fevereiro foram os recursos destinados a tetraplégicos. O campeão foi o adaptador para alimentação.
— Recebo cartas e e-mails diariamente, não apenas de pessoas com deficiência, dando sugestões e também fazendo perguntas, querendo saber onde encontram um ou outro produto que apareceu em cena — conta o autor Manoel Carlos, que tem o auxílio de profissionais para escrever os capítulos.
A produção de arte também consulta especialistas para montar o cenário.
— Providenciamos os aparelhos ideais para as atividades descritas com orientação da fisioterapeuta do set. Procuramos sempre usar equipamentos que realmente facilitem o dia a dia dos deficientes — explica a produtora Lara Tausz.

Mesa
Ajusta a altura e os apoios de cotovelos. Possui mouse especial e teclas emborrachadas para clique. Preço: R$ 5 mil. Contato: (12) 8816-1712, (12) 97843178, (12) 97907887, comercial@dumontbrasil.com.br, http://www.dumontbrasil.com.br/ ou http://www.dumontbrasil.blogspot.com/.

Adaptador para teclado
Modelado em liga especial de aço e silicone, o adaptador (órtese) tem desenho ergonômico. Preço: R$ 60,50, mais a ponteira para digitação, R$ 16. Contato: ana.carvalho@ortopediafollowup.com.br, (21) 2286-7290 / 2527-1999 / 2527-2071 / 2527-2480.

Cadeira de rodas
Totalmente ajustável, leve, encosto rígido, sistema de amortecimento e rodas de fibra de carbono. Preço:
R$ 6.500. Contato: (51) 3696.9600 ou www.ortobras.com.br.

Cama
Acionada por comando de voz, a cama move as partes superior e inferior e vira poltrona. Preço: R$ 16.200. Contato: (21) 3369-5050 ou http://www.vallitech.com.br/.

Adaptador para batom
A órtese pode ser usada também com encaixes para batom e pincel para blush. Preços: pincel, R$21,95; encaixe para batom, R$20,60. Contato: ana.carvalho@ortopediafollowup.com.br, (21) 2286-7290 / 2527-1999 / 2527-2071 / 2527-2480.

Adaptador para talher
A órtese pode ser modelada para facilitar a alimentação. Preços: órtese, R$ 60,50; e garfo, R$ 20,60. Contato: ana.carvalho@ortopediafollowup.com.br, (21) 2286-7290 / 2527-1999 / 2527-2071 / 2527-2480.

Fonte: globo.com

26 de mar de 2010

Vivo promove acessibilidade para pessoas com deficiência visual no Festival de Curitiba

A Vivo, operadora oficial do Festival de Curitiba, promove sessão especial de audiodescrição para pessoas com deficiência visual na peça, "Farsa da Boa Preguiça", que ocorre neste final de semana (dias 27 e 28), às 21h, no Teatro Positivo.

A audiodescrição será realizada por dois especialistas de São Paulo e voluntários da Vivo que atuam no Paraná. O recurso consiste na tradução do visual para o verbal. Esta tradução audiovisual caracteriza-se pela descrição objetiva de imagens que, paralelamente e em conjunto com as falas originais, permite uma maior compreensão do produto audiovisual, contribuindo para a inclusão cultural das pessoas com deficiência visual. A Vivo tem contribuído para a divulgação e implementação do recurso no Brasil.

Segundo o diretor territorial da Vivo no Paraná e Santa Catarina, Antonio Pizarro, a operadora já interage com as pessoas com deficiência visual por meio do Vivo Voluntário, transcrevendo obras em braille e participando de diferentes atividades com instituições no Estado.
"Convidamos 80 pessoas, de diferentes instituições da cidade, para assistir a esta montagem com o recurso da audiodescrição, que permite a inclusão de pessoas com deficiência visual aos produtos audiovisuais", declara. Além disso, a operadora oferecerá as pessoas com deficiência visual, a sinopse da peça nas versões em braile e com letras ampliadas para baixa visão.
As instituições convidadas pela operadora foram: Instituto Paranaense de Cegos; ADEVIPAR - Associação de Deficientes Visuais do Paraná; Secretaria Estadual de Educação - Setor Educação Especial e UNILEHU - Universidade Livre para Eficiência Humana.

Descontos diferenciados - Clientes Vivo têm desconto de 50% nos ingressos do Festival de Teatro de Curitiba. Basta enviar um SMS para 22211, e apresentar a resposta nas duas bilheterias oficiais do Festival. Além disso, para receber a programação completa do Festival no celular, basta enviar a palavra FESTIVAL para o número 4000 e acompanhar as novidades.
Nos teatros que apresentam as principais peças, a operadora também montou um stand com promotores, que estarão cadastrando o público para o sorteio de um aparelho Nokia, ao final do espetáculo.

A peça - Com autoria de Ariano Suassuna e direção de João das Neves, a peça possui um texto rimado, cheio de humor e uma montagem que mistura atores e mamulengos (fantoches típicos de Pernambuco). Indicada para todas as idades, narra a história de Joaquim Simão, poeta de cordel, pobre e preguiçoso, que só pensa em dormir. Joaquim é casado com Nevinha, mulher religiosa e dedicada ao marido e aos
filhos. Três demônios fazem de tudo para que o pobre casal se renda a tentação e caia no pecado, enquanto dois santos tentam intervir. Jesus observa e avalia tudo. A partir daí, situações inusitadas fazem deste espetáculo uma mistura cultural muito divertida.

Serviço: Farsa da Boa PreguiçaDias 27 e 28 de março, às 21h.Teatro Positivo - Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300Campo Comprido - Curitiba - PR

Fonte: Panashop

24 de mar de 2010

Pessoas com deficiência receberão capacitação em artes na Bahia

O projeto “Perspectivas em Movimento”, com apoio da Rede Bahia, oferece às pessoas com deficiência física ou visual e professores da rede estadual de ensino uma iniciativa para capacitá-los no campo das artes. A oficina começa no dia 05 de abril, será gratuita e terá duração de 06 meses.

O projeto foi contemplado no Edital “Formação e Qualificação Artístico-Cultural' e será realizado na modalidade de oficinas de arte, conduzidas pelo professor e diretor de teatro Walter Rozadilla.

Os interessados, deficientes, devem ser maiores de 16 anos e ter alguma habilidade no campo das artes. Já os professores devem participar de programa de inclusão ou terinteresse na área.

O projeto tem carga horária de 480 horas, com oficinas de dança e teatro divididas em 04 grupos de 120 horas. Nesta primeira fase, o projeto oferecerá 64 vagas: 32 para pessoas com deficiência e 32 para professores.

As inscrições devem ser ralizadas até esta sexta-feira (26), através do e-mail perspectivasemmovimento@gmail.com ou telefone 71 2104 5481. Os candidatos inscritos passarão por seleção.

Fonte: iBahia.com

23 de mar de 2010

Congonhas promove melhorias em acessibilidade

O Aeroporto de São Paulo (Congonhas) firmou Termo de Compromisso de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal para promover melhorias no terminal em relação à acessibilidade a passageiros e usuários com algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida.

De acordo com o documento, as adaptações devem ocorrer em duas etapas: a primeira, com conclusão até 30 de setembro deste ano; e a segunda com prazo até 30 de junho de 2011. “Muitas ações previstas no Termo já foram cumpridas e estão em estado adiantando de execução”, afirmou Antonio Filipe Bergmann Barcellos, superintendente da Regional Sul da Infraero, referindo-se a algumas adaptações que começaram a ser realizadas em dezembro de 2009 e já foram finalizadas.

Pisos podotáteis com relevo, textura e volumetrias especiais para deficientes visuais já foram instalados nas entradas dos elevadores, escadas fixas e rolantes e todos os outros locais com rampas ou obstáculos acima do nível do piso comum. Nas calçadas que dão acesso ao aeroporto, também já foram construídas rampas em frente às entradas das alas Norte (área de check-in) e Sul (desembarque). Seis balcões de check-in foram adaptados para atendimento aos usuários de cadeira de roda e 189 posições foram demarcadas com adesivos próprios, ao lado dos assentos espalhados pelo terminal de passageiros para uso desse público. Os restaurantes e as lanchonetes do aeroporto já contam com mesas acessíveis destinada a deficientes físicos. O estacionamento de Congonhas também já está totalmente adaptado quanto à infraestrutura para usuários com necessidades especiais.
Fonte: Panrotas

18 de mar de 2010

Sem Barreiras

No dia 15.04.2010 será realizado o curso Sem Barreiras – inclusão profissional de pessoas com deficiência na Feira Reatech deste ano. Desde seu lançamento no ano passado já participaram do curso aproximandamente 500 profissionais, que colaboram com o amadurecimento do projeto e da SMPED na missão de promover a inclusão social das pessoas com deficiência.
Os interessados deverão encaminhar nome completo, telefone, e-mail e nome da empresa para o e-mail: rpublio@prefeitura.sp.gov.br ou ligar para (11) 3113-8775 .
Participei no ano passado desse curso e achei excelente!

15 de mar de 2010

MTur apresenta experiência de acessibilidade na África

O Ministério do Turismo apresentou, em Maputo, capital de Moçambique, a experiência brasileira em acessibilidade para o turismo. Foi no Seminário Regional de Acessibilidade e Meio Ambiente, realizado no início deste mês com a participação de mais de 20 países de língua portuguesa.

"O Ministério desenvolve uma série de projetos voltados para a inclusão das pessoas com deficiência no turismo. Já temos casos de sucesso que podemos mostrar ao mundo, como o de Aventura Especial na cidade de Socorro, em São Paulo", conta o diretor do Departamento de Estruturação e Ordenamento Turístico, Ricardo Moesch, que representou o MTur no evento.

Socorro (SP) é um dos destinos turísticos que fazem parte do projeto 10 Destinos Referência em Segmentos Turísticos do MTur. O projeto de adaptação de meios de hospedagem, restaurantes e atrativos turísticos da cidade para pessoas com deficiência também foi apresentado na África.

"Em 2009, houve um aumento de 20% nas operações de Turismo de Aventura em Socorro, com relação a 2008", afirma o diretor do Conselho de Turismo do município, José Fernandes Franco, confirmando o sucesso do projeto. A cidade chamou atenção também dos organizadores da Copa de 2014 e das Olimpíadas 2016, eventos que exigem cumprimento de normas de acessibilidade nas instalações esportivas.
Fonte: Mercados e Eventos

11 de mar de 2010

Cemat faz doação de livros em braile ao Instituto dos Cegos

A inclusão social do deficiente visual em Cuiabá ganha um importante reforço nesta sexta-feira (12). A Cemat fará a doação de 350 livros em braile ao Instituto dos Cegos do Estado de Mato Grosso (Icemat), entidade que atende hoje 183 pessoas com deficiência visual, dos 6 aos 60 anos de idade. Os títulos "A felicidade das borboletas", "Para dançar com os anjos", "A semente da verdade" e "O grande dia" pertencem à coleção "Um presente para todos nós", de autoria da escritora Patrícia Engel Secco, e foram patrocinados pela Rede Energia, por intermédio da Lei de Incentivo à Cultura, com apoio da Fundação Dorina Nowill para Cegos.

A doação será feita nas instalações do próprio instituto pelo gerente do Departamento de Regulação e Ouvidoria da Cemat, Fernando Carlos de Luna, ao presidente do Icemat, Ângelo Alberto Santos de Lima. Dos livros doados, uma parte vai compor o acervo da instituição e outra parte será doada a cada um dos alunos matriculados. O dirigente detêm apenas 2% da visão, fruto da febre tifóide adquirida pela mãe no sétimo mês de gestação. Ângelo conhece bem as limitações impostas pela sociedade a pessoas portadoras de necessidades especiais. Ele relata que homens e mulheres que possuem cegueira ou baixa visão encontram dificuldade de acesso a livros no formato em que possam ler.

"A acessibilidade a livros em braile dão autonomia à pessoa com deficiência visual e essa iniciativa da Cemat mostra que a empresa realmente promove a responsabilidade social porque propicia a inclusão social da pessoa portadora de deficiência visual", reforça. Fernando Luna lembra que a educação é um dos focos da Política de Sustentabilidade das empresas Rede Energia, assim como o item "Educação Básica de qualidade para todos" das Metas do Milênio e campanha Todos pela Educação. "Conhecemos a importância do Instituto para a formação escolar de pessoas com deficiência e acreditamos que o uso dos livros é uma forma de minimizar a escassez de publicações no formato voltado para pessoas com deficiência visual", acrescentou o gerente.

Mensagem - Os livros não só permitem a leitura em braile, mas também podem ser utilizados por aqueles alunos que possuem baixa visão e por aqueles que não apresentam deficiência visual. Eles são ilustrados e trazem narrativas especiais que tratam de sonhos, descobertas, desafios, amizade e valores morais como o respeito, a ética, a cidadania e a família. No ano passado, a Cemat fez a doação de 840 unidades desses mesmos livros à Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para compor o acervo de bibliotecas de instituições que abrigam portadores de deficiência visual. A secretaria também recebeu 10 mil exemplares do livro "As aventuras de Lelê e Trix - A experiência investigativa", também da autora Patrícia Engel Secco (Editora Boa Companhia) voltado para alunos do Ensino Fundamental.

Icemat - O Instituto dos Cegos do Estado de Mato Grosso é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos, que sobrevive com a ajuda da comunidade e através de convênios com alguns órgãos públicos e particulares. É mantenedora de uma Escola Especial para Deficientes Visuais e conta com discentes cegos matriculados que recebem assistência em regime de internato e semi-internato, com alimentação, atendimento médico hospitalar, educação pelo método Braille, Atividade da Vida Diária, Comunicação, Informática, Música, Atividades Desportivas e Itinerância em todos os níveis de ensino.
Fonte: O Documento - Cuiabá

10 de mar de 2010

Software gratuito ajuda deficientes a usar computador

As pessoas com deficiência motora vão poder usar o computador sem as mãos, apenas com movimentos do rosto, como piscar de olhos e abrir e fechar de boca. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e a empresa espanhola Indra fizeram um acordo para distribuir gratuitamente dois softwares que dispensam o uso manual do teclado e do mouse. Os programas Head Mouse e Teclado Virtual poderão ser baixados a partir de hoje nos sites dos Correios (www.correios.com.br) e do Ministério das Comunicações (http://www.mc.gov.br/).

Para a utilização do software, é preciso ter uma câmera (webcam) instalada no computador para captar os movimentos faciais. O cursor do mouse e a função "arrastar" são acionados pelo movimento da cabeça e a função "click" é ativada por gestos, como piscar de olhos. "Ajudou bastante. Eu antes usava uma ponteira", disse Eduardo, que dispõe de computador em casa, mas só tem acesso discado à internet, por causa dos preços altos da banda larga.Durante a cerimônia, o estudante recebeu um convite para trabalhar como monitor dos Correios na divulgação dos softwares. Os Correios colocarão à disposição dos interessados uma equipe de suporte para esclarecer dúvidas sobre a instalação e o funcionamento das ferramentas.

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, lembrou, na cerimônia, que 24,5 milhões de pessoas no Brasil têm algum tipo de deficiência. Ele ressaltou que o Ministério tem no seu quadro de funcionários 80 pessoas com necessidades especiais. Costa citou ainda o projeto que permitiu a instalação de 1.800 telefones desenvolvidos para deficientes auditivos em escolas frequentadas por alunos com necessidades especiais.

Texto: Gerusa Marques - Agencia Estado

5 de mar de 2010

Mesa ergonômica para pessoas com deficiência será apresentada durante a IX Reatech

Com o intuito de trazer mais acessibilidade, comodidade e inclusão às pessoas com deficiência física, a Dumont Brasil traz uma novidade para o setor: a E3 - estação ergonômica especializada, que será apresentada na IX Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade (REATECH). Com entrada franca, o evento acontecerá entre os dias 15 e 18 de abril no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.

A inovação trata-se de uma mesa que traz como diferencial o ajuste fácil de altura, largura dos apoios de cotovelos, de profundidade, rodízios de movimentação, pés niveladores, além de diversos acessórios que facilitam a autonomia e independência do usuário. O móvel pode ser adaptado de acordo com as necessidades e o grau de evolução de cada um e os benefícios são amplos: como melhora do posicionamento dos braços facilitando a execução de inúmeras atividades, estímulo para reabilitação profissional e a própria facilidade na mobilidade, o que permite sua utilização em diversos ambientes.

Além da exposição de produtos, a Reatech contará com uma extensa programação de artes cênicas e grupos de dança compostos por artistas com deficiências; atividades de Pet e Equoterapia; galeria de arte; parque infantil adaptado; quadras adaptadas para a prática de esportes; test-drive de carros adaptados, de cadeiras de rodas motorizadas e scooters; palestras, congressos médicos, seminários e atividades abertas ao público entre outras atrações.
Incorporando os conceitos de acessibilidade corporativa e empregabilidade, diversas empresas também utilizam a feira como mecanismo de captação de currículos de pessoas com deficiências. Só na última edição, foram oferecidas pelos expositores mais de 6.500 vagas diversas de trabalho para pessoas com deficiência.

No Brasil, aproximadamente 15% da população possui alguma deficiência e cerca de 500 pessoas todos os dias adquirem algum tipo de deficiência. É dentro deste cenário que o setor de produtos e serviços para reabilitação movimenta cerca de R$ 1,5 bilhão no País, sendo R$ 200 milhões só com vendas de cadeiras de rodas e mais de R$ 800 milhões em automóveis e adaptações veiculares.

Informações sobre a próxima edição estão disponíveis no site www.reatech.tmp.br ou pelo fone (11) 5585-4355.
Informações sobre a feira:
Reatech – IX Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade
Local: Centro de Exposições Imigrantes - Rodovia dos Imigrantes Km 1,5 - São Paulo (SP)
Dias 15 a 18 de abril
Horário: quinta e sexta das 13h às 21h; sábado e domingo das 10h às 19h
Entrada gratuita
OBS: Também será oferecido diariamente transporte gratuito (ida e volta), saindo da Estação Jabaquara do Metrô (Rua Nelson Fernandes, 400 – ao lado do terminal de ônibus).
Texto: Fábio L. Cerchiari

1 de mar de 2010

SMPED inicia implantação do Programa Censo-Inclusão e Cadastro Inclusão

Grupo de Trabalho instituído no final de janeiro vem realizando estudos sobre a metodologia mais adequada, consultando institutos de pesquisa e levantando informações já disponíveis nos bancos de dados de serviços públicos do município. A Lei nº 15.096, de 5 de janeiro de 2010, instituiu o Programa Censo-Inclusão e Cadastro Inclusão, que visa à identificação, mapeamento e cadastramento do perfil socioeconômico das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, no âmbito do município de São Paulo.

Para implantar o programa, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED) instituiu um Grupo de Trabalho (GT) que já realizou reuniões com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e com a Companhia de Processamento de Dados do Município de São Paulo (Prodam), bem como com as demais secretarias da Prefeitura de São Paulo que oferecem programas e serviços voltados às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Institutos de pesquisa como Datafolha, Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe-USP) também estão sendo consultados, neste primeiro momento, para troca de informações sobre as tecnologias e a metodologia aplicáveis para que o Censo aconteça da forma mais eficiente e precisa. O GT igualmente analisa a possibilidade de parcerias com outras entidades de direito público e privado.

Conheça o conteúdo da Lei 15.096, de 05 de janeiro de 2010 (Projeto de Lei nº 258/07)

Art. 1º Fica criado, no âmbito do Município de São Paulo, o Programa Censo-Inclusão e Cadastro-Inclusão com o objetivo de identificar o perfil socioeconômico das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, bem como de mapear e cadastrar o referido perfil com vistas ao direcionamento das políticas públicas voltadas ao atendimento das necessidades desse segmento social.
Art. 2º O Programa Censo-Inclusão e Cadastro-Inclusão realizar-se-á a cada período de 4 (quatro) anos no Município de São Paulo.
Art. 3º Com os dados obtidos por meio da realização do censo será elaborado o Cadastro-Inclusão, que deverá conter:
I – informações quantitativas sobre os tipos e graus de deficiência encontrados;
II – informações necessárias para contribuir com a qualificação, quantificação e localização das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.
Art. 4º O Cadastro-Inclusão será disponibilizado no Portal da Prefeitura do Município de São Paulo na Internet, bem como na sede da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida.
Art. 5º Além de sua atualização quadrienal, por meio do Censo-Inclusão, o Cadastro-Inclusão deverá conter mecanismo de atualização mediante autocadastramento.
Parágrafo único. O autocadastramento será realizado na sede da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, bem como por meio do Portal da Prefeitura do Município de São Paulo na Internet.
Art. 6º A coordenação do Programa ora criado ficará a cargo da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, a qual caberá:
I – adotar as providências necessárias para o seu desenvolvimento e acompanhamento;
II – reunir todos os cadastros realizados por via eletrônica e na sede da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida;
III – atualizar semestralmente o Cadastro-Inclusão, de acordo com o disposto no art. 3º desta lei.
Art. 7º Para a concretização do Programa de que trata esta lei, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida poderá estabelecer ações, convênios e parcerias com órgãos públicos e entidades de direito público ou privado, obedecida a legislação vigente.
Art. 8º As despesas decorrentes da execução desta lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.
Art. 9º Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.
Fonte: Portal da Prefeitura da Cidade de São Paulo