16 de jul de 2011

Aparelho ajudará cegos a identificarem ônibus em Volta Redonda

Um aparelho irá ajudar deficientes visuais a identificar os ônibus em Volta Redonda. A frota de transporte coletivo da cidade será equipada com um dispositivo que emite um aviso sonoro direcionado às pessoas com deficiência visual, que será ouvido em aparelhos que serão adquiridos pelos deficientes.

Segundo o Sindpass (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros) um total de 438 pessoas com deficiência visual - sendo 122 com cegueira total e 316 parcial - utilizam o transporte coletivo no município. Atualmente Volta Redonda possui uma frota de 200 ônibus.

O projeto de lei é de autoria do vereador Luis Cláudio da Silva, o Soró (DEM), e já foi sancionado pelo prefeito Antônio Francisco Neto (PMDB). De acordo com o Neto, promover a acessibilidade às pessoas com deficiência é um dever do poder público.

- Já estamos trabalhando para implantar o projeto e contamos com apoio total das empresas de ônibus. Tudo que for feito com o intuito da acessibilidade é muito bem vindo - disse o prefeito, ao destacar que o custo unitário do aparelho receptor é de R$ 600, com o transmissor custando R$200,00. O projeto é pioneiro na região e está em fase de testes.
O vereador Soró falou sobre a finalidade do projeto.

- O nosso objetivo é evitar constrangimentos e promover a acessibilidade, porque muitas vezes as pessoas com deficiência visual têm que depender de alguém para embarcar em um ônibus. Procuramos um meio de facilitar o dia a dia do deficiente visual e promover segurança - disse.

Ele também adiantou que outros projetos direcionados às pessoas deficientes estão sendo elaborados.

- Depois que criamos esse projeto de lei fomos procurados por diversas pessoas que nos deram várias sugestões, entre elas a implantação de sinais sonoros nos semáforos da cidade e um ônibus para transportá-las às universidades - informou Soró, ao destacar que já iniciou a elaboração dos projetos.

Paulo Afonso Paiva Arantes, presidente do Sindpass, disse que as empresas de transporte público do município estão disponíveis paras as adaptações necessárias.

- Estamos de acordo com tudo que for em benefício da pessoa deficiente - disse Paulo Afonso, ao destacar que aguarda comunicado da empresa responsável pela implantação dos equipamentos para dar início às adaptações.

A deficiente visual Maria Izabel Moreira da Fonseca, de 56 anos, disse que a iniciativa é muito importante para as pessoas com a deficiência.

- A gente sempre buscou melhorias em relação ao transporte coletivo, porque temos muitas dificuldades em embarcar nos ônibus, na maioria das vezes nos tornando dependentes de pessoas estranhas, o que é bastante constrangedor - disse.

Programa
O programa, que está sendo conduzido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, permite aos deficientes visuais o acesso aos serviços de transporte público mediante anúncio sonoro. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jessé de Hollanda Cordeiro Júnior, o sistema será instalado por meio de parceria entre a prefeitura e a empresa Geraes Tecnologia.

Segundo ele, o sistema é composto por um aparelho receptor instalado nos ônibus e um transmissor que fica com o usuário. O passageiro memoriza no aparelho o código da linha. Ao chegar ao ponto de ônibus, seleciona a linha desejada e o aparelho emite ondas de baixa frequência com raio de 100 metros, possibilitando ao motorista receber sinal luminoso e sonoro e parar. Ao estacionar no ponto, uma gravação automática informa o número da linha repetidas vezes, até que o usuário embarque.

Projeto similar
Um projeto similar foi implantado em Niterói no mês de maio. Os deficientes visuais podem também identificar as linhas de ônibus através de um equipamento especial que foi montado nos pontos da cidade. O projeto-piloto começou em apenas uma linha de uma das empresas que circulam por um dos bairros da cidade.

Segundo estatística divulgada pelo Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários (Setrerj), cerca de dois mil deficientes audiovisuais usam o sistema de transporte coletivo em Niterói.

O projeto vai começar com quatro equipamentos que foram instados para testes nos pontos de ônibus da Linha 49, que circula por bairros das Zonas Sul e Norte de Niterói. Os aparelhos serão usados por pessoas que possuem cegueira total ou parcial.


Fonte: Diário do Vale

Um comentário:

Claudiene Mortimer disse...

Isso é importantissimo para o desenvolvimento da inclusão da pessoa com deficiência. Aos poucos estamos engatinhando para uma sociedade mais acessível.